Gonçalo M. Tavares elogiado pela imprensa internacional

As traduções das obras de Gonçalo M. Tavares têm, neste final de ano, aparecido em destaque na escolha dos melhores livros do ano na imprensa de língua inglesa e em outros países, como França, Espanha, Holanda, Brasil ou Turquia.

Em França, com a recente edição simultânea de três livros – “Um Homem: Klaus Klump”, “A Máquina de Joseph Walser” e “O Senhor Swedenborg” -, a conceituada revista “Magazine Littéraire” classificou Gonçalo M. Tavares como “genial”.

“O escritor português afirma-se como uma figura maior – combina um rigor formal com uma loucura suave”, escreve a publicação, para acrescentar que Gonçalo M. Tavares “é um Kafka tanto matemático como sensual, que inventa as suas próprias arquiteturas para poder explorar um mundo em crise e que olha sempre através de um cruzamento entre o grotesco e o terrível. É brilhante”, pode ler-se.

Os jornais “Le Monde” e “Philosophie Magazine” escrevem que Gonçalo M. Tavares “já é um clássico, quando só tem 44 anos”.

O conceituado “Le Monde” escreve ainda que o escritor português, nascido em Angola, “é extremamente inventivo, o seu espírito fora do normal, criativo, ousado, divertido, ambicioso, lógico e louco”.

Entretanto, na revista de língua inglesa “Gorse” foram escolhidos, como melhores livros do ano, duas obras de Gonçalo M. Tavares. Susan Tomaselli, a diretora da revista, escolhe “Um Homem: Klaus Klump”. Por sua vez, Dylan Brennan escolhe o mesmo livro de Gonçalo M. Tavares, juntamente com livros de Samuel Beckett e Roberto Bolaño.

Em Espanha, “Un Viaje a la India”, que foi editado na Seix Barral e vai já em duas edições, foi considerado o melhor livro do ano por Marta Rébon do jornal El País e foi referenciado também como um dos melhores do ano pelo jornal ABC.

Ainda em Espanha, Ascensión Rivas, do “El Cultural”, escolhe como melhor livro do ano “Uma Viagem à Índia”. Já no “El Confidencial”, o mesmo livro surge nas 20 leituras fundamentais de 2014.

Ainda em relação à escolha dos melhores livros do ano, na Holanda, o crítico Aly Freije escolhe o romance “Jerusalém”. Já no Brasil, “Matteo Perdeu o Emprego” foi um dos quatro finalistas para o melhor romance publicado no Brasil em língua portuguesa. O mais recente livro do escritor, intitulado “Os Velhos Também Querem Viver”, acaba de ser editado em terras de Vera Cruz, tendo uma edição prevista para a Bósnia, onde também se prepara a possível dramatização do livro na cidade de Sarajevo, onde se localiza a ação.

Na Turquia e na Roménia, as edições recentes dos livros dos “Senhores do Bairro” receberam também diversas referências neste final do ano.

Gonçalo M. Tavares tem cerca de 280 traduções em curso, em dezenas de países um pouco por todo o mundo. Está traduzido em trinta línguas.

2 de Janeiro de 2015 às 13:25

Os comentários estão fechados